segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Muito além do legado

   Além da construção do Arena das Dunas, a prefeitura natalense prometeu a realização de obras de mobilidade urbana nas avenidas Mário Negócio e Capitão Mor-Golveia, as quais desafogariam o trânsito e melhorariam o acesso ao estádio da copa. No entanto, para que o alargamento das avenidas seja feito, diversas pessoas devem perder suas casas e seus comércios.
   São, em maioria, idosos, que vivem na área ha muito tempo. Eles viram seus imóveis sendo medidos e receberam propostas irrisórias de indenização. Casas que, ao valor do mercado, custam R$60 mil, foram avaliadas por 30 a 40 mil reais pela prefeitura. E existem casos piores.
   Dessa forma, os moradores e comerciantes prejudicados se reuniram e criaram a Associação Potiguar dos Moradores Atingidos pelas Obras da Copa (APAC), com objetivo de lutar pelos seus direitos perante a lei e conseguir a atenção da mídia.
   As alunas de comunicação social da UFRN, Sylara Silvério, Huldiana Paiva e Larissa Moura, produziram um curta-documentário sobre a situação dessas pessoas. A ideia surgiu a partir de um trabalho para a matéria Linguagem Jornalistica para Rádio, e o vídeo conseguiu grande proporção nas redes sociais.


  Ontem (25) a APAC se reuniu na Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, nas Rocas, para realizar a oficina de comunicação e memória. Os moradores passaram a manhã do domingo discutindo e relembrando os acontecimentos desde a visitas dos agentes públicos aos imóveis. As principais informações foram anotadas e coladas em uma linha do tempo. CONFIRA AS FOTOS NA NOSSA PÁGINA DO FACEBOOK.
   Sylara Silvério, Huldyana Paiva e o professor Ruy Rocha, estavam presentes na reunião para gravarem as discussões e os depoimentos dos moradores. O material audiovisual servirá para o comitê e para um segundo curta-documentário produzido por eles. E o BLOG FALA FOCA estava lá para acompanhar as gravações.

Sylara acompanhou toda a discussão com a câmera na mão
Os moradores gravaram depoimentos de um minuto, contando suas histórias
Além do material publicitário para a Associação, eles começaram a produzir um segundo curta-documentário

 

Um comentário:

  1. Parabéns pra Sylara e pras outras meninas. Trabalho sensacional!

    ResponderExcluir